Luis

Gaspar



Nasceu a 2 de janeiro de 1986, na cidade de Évora. Em 2001 começou a tocar bateria, tendo sido integrado em projetos musicais sob a direção do músico e compositor Luís Pucarinho. Em 2006 ingressou na Licenciatura em Geologia, na Universidade de Lisboa, e é pela mesma altura que o seu interesse pelo jazz é despertado, levando-o a inscrever-se na Escola de Jazz do Barreiro. Durante o seu percurso académico naquela escola, foi convidado a representá-la na Festa do Jazz do São Luiz e na Grande Festa do Jazz no CCB, ambas em 2008.

A partir do mesmo ano, teve aulas particulares com os professores Michael Lauren e Andreu Jacob. Em 2011 foi patrocinado pela Sonor, Aquarian Drumheads e Zildjian. Licenciou-se em Música – variante instrumentista de Jazz – pela Universidade de Évora, tendo tido o privilégio de representá-la numa das edições da Festa de Jazz do S. Luiz. Obteve posteriormente o Certificado de Competências Pedagógicas.

Enquanto músico tem trabalhado não só como freelancer, atuando com diversos artistas, mas também tem sido parte integrante de projetos musicais cujo estilo varia entre o rock, pop, funk e jazz. Os Eléctricos, Walking Lights, Sleepy Rust, Djimi, Zé Fancisco & Orquestra Azul, The Hendrix Lab, Big Band da Escola de Jazz do Barreiro, Paulo Ribeiro, Solaris, são alguns exemplos disso mesmo. Como professor tem lecionado em várias escolas, nomeadamente na Escola de Jazz do Barreiro, Academia do Som, Junta de Freguesia de Campo de Ourique, Ensemble Mor, entre outras.

Professor bateria Luis Gaspar Jazz Barreiro

João

Sousa



João Sousa nasceu a 25 de novembro de 1990 em Faro. Formou-se em Jazz e música moderna pela Universidade Lusíada de Lisboa. Em 2014 inicia o mestrado em Jazz performance - instrumento principal bateria, Royal Conservatory of The Hague onde estuda com o reconhecido mestre holandês Erik Ineke. Neste período tocou com os saxofonistas Ben van den Duncan, Simon Rigter, o pianista belga Johan clement e gravou dois discos enquanto sideman, "so far", Gottfried di Franco quintet editado em 2018 e "It's time", Vivienne chuliao trio editado em 2017. Ficou também em 2o lugar no prestigiado Leiden Jazz Award.

Em 2017 conclui o mestrado e volta a Lisboa cidade onde permanece e dá continuidade à sua exploração e pesquisa artística. Co-lidera com o guitarrista Pedro Branco e como membro fundador o projeto Old Mountain. Este grupo surge em 2016 e desde então iniciam colaborações com diferentes músicos, George Dumitriu, Demian Cabaud, Gonçalo Marques, Nicóló Ricci, José Soares, Felicia Erlenburg, João Hasselberg, Alessandro Fongaro, Mauro Cottone, Carlos Barreto ou Nelson Cascais são alguns exemplos destas colaborações. João Sousa teve também a oportunidade de apresentar a sua música em diferentes espaços, teatros ou festivais nacionais ou internacionais, Znojmo Jazzfest (república Checa), Sibiu jazz festival (Roménia), Nova Jazz Cava (Espanha), Hot Clube Portugal, Casa da música, Teatro Capitólio, Festival Robalo, Festival de jazz de Loulé, ou Festival de jazz de Minde.

No decorrer do próximo ano editará em nome de Old Mountain dois discos já gravados em 2017 e 2018 em Amesterdão e outro do colectivo criado no âmbito da residência artística liderada pelo trompetista Gabrielle Mitelli (com Pedro Branco e João Hasselberg), uma parceria entre a Fundação Árpád Szenes Vieira da Silva e o Instituto Italiano da cultura em Lisboa.

Professor Bateria João Sousa